XXVI Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia de Produção

Livro

RELATOS DE EXPERIÊNCIA EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2019

 

Organizadores:
Carlos Eduardo Sanches da Silva
Francisco Gaudêncio Mendonça Freires

“A concepção desta ação é oferecer um momento no ENCEP para que a comunidade de
Engenharia de Produção, compartilhe suas experiências de soluções originais para
problemas críticos da Educação em Engenharia de Produção, no âmbito da graduação e
da pós-graduação. Foram encaminhados quinze relatos, sendo os mesmos analisados
pelos revisores que aprovaram doze relatos, solicitaram melhorias, sendo estas acatadas
por todos os autores.”

Clique aqui para acessar.

CAPÍTULO I: RECUPERAÇÃO DO DESEMPENHO  DE UM  CURSO  DE ESPECIALIZAÇÃO 

Autores
Renato de Oliveira Moraes (Escola Politécnica da USP)
remo@usp.br

Tema: Formação continuada e acompanhamento dos egressos

Resumo 

Este relato fala da experiência, iniciado em 2016, de recuperação de um curso lato sensu (especialização) e que trouxe um aumento de 69% do número de alunos matriculados, apesar da crise econômica. O Curso de Especialização em Administração Industrial da USP (CEAI) foi criado em 1977 pelo Departamento de Engenharia de Produção (PRO) da Escola Politécnica da USP (EPUSP), e tem sido operado pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini. A partir de algum momento no início deste século, sua demanda começou a cair e o número de alunos matriculados entrou em trajetória decrescente. Com a crise econômica iniciada em 2014, sua situação ficou insustentável e uma reestruturação tornouse inadiável em 2016. Como havia um déficit crônico em sua operação, o processo de recuperação foi feito em duas fases. A primeira, emergencial, foi para eliminar o déficit operacional. A segunda, que ainda está em andamento, refere-se à recuperação do desempenho do curso em patamares observados até a década de 1990, quando seu desempenho era internamente considerado muito bom. O relato mostra que os alunos e egressos são uma importante fonte de atração de novos alunos, mesmo que no momento de transformação do curso a relação com alguns alunos regulares torne-se desgastante.

Palavras-chave: lato sensu, especialização, recuperação de curso, relacionamento com egressos

CAPÍTULO II: GRADUANDOS CURSANDO DISCIPLINAS DA PÓSGRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ

Autores

Carlos Eduardo  Sanches da  Silva (Universidade  federal de  Itajubá  /  MG)
sanches@unifei.edu.b r

Rafael Coradi Leme (Universidade  federal de  Itajubá  /  MG)
leme@unifei.edu.br

José  Leonardo  Noronha (Universidade  federal de  Itajubá  /  MG)
jln@unifei.edu.br

Nathália  Alves Naliatti Dambros (Universidade  federal de  Itajubá  /  MG)
naliatti@unifei.edu.br

Tema: Integração graduação x pós-graduação

Resumo

A integração pós-graduação com a graduação é considerada relevante por vários segmentos educacionais, porém sua implementação ocorre por meio de poucas ações dispersas. Normalmente isso ocorre devido a própria essência diferente destes dois cursos, que possuem como um dos fortes elementos de ligação a pesquisa. Este relato tem como objetivo identificar como estão as pesquisas acerca do tema e posteriormente, a partir de um caso, discutir e refletir como este problema vem sendo abordado no curso de graduação e pós-graduação stricto em Engenharia de Produção na Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Utiliza como metodologia inicialmente a revisão sistemática da literatura realizada na plataforma Scopus e posteriormente relata e analisa a possibilidade de graduandos cursarem disciplinas no Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da UNIFEI. A fonte de dados é documental, tendo como foco os alunos de graduação que cursaram disciplinas na pós-graduação no período de 2014 a 2019 (Sistema de Gestão Integrada da UNIFEI; histórico dos alunos; currículo Lattes dos alunos; e redes sociais). Os resultados evidenciam que as pesquisas acerca da integração graduação com a pós-graduação são incipientes e fragmentadas, tendo um destaque na área médica. No PPGEP a participação dos graduandos aumentou a partir da simplificação do procedimento para os alunos de graduação cursarem disciplinas na pós-graduação. A análise destes alunos identificou que: a maioria realizou iniciação cientifica; possuem desempenho acadêmico acima da média; a maioria é oriunda do curso de graduação em engenharia de produção; metade ingressou no mestrado; a moda do número de disciplinas [ 22 ]Relatos de Experiências em Engenharia de Produção – ABEPRO cursadas são 3; em média 20% dos ingressantes do PPGEP cursaram disciplinas na pósgraduação enquanto cursavam graduação.

Palavras-chave: Engenharia de Produção; integração graduação pós-graduação; disciplinas.

CAPÍTULO III: APLICAÇÃO  DA  METODOLOGIAHOSHIN KARIN E  A3  PARA GESTÃO ESTRATÉGICA  DA COORDENAÇÃO  DE CURSO E ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

Autores

Cristiane  Agra Pimentel (Universidade  Federal  do  Recôncavo  da Bahia  /  BA)
cristianepimentel@ufrb.edu.br

Jacson  Machado  Nunes (Universidade  Federal  do  Recôncavo  da Bahia  /  BA)
jacson@ufrb.edu.br

Tema: Formação continuada e acompanhamento dos egressos

Resumo

O ensino superior brasileiro tem passado por diversas transformações nos últimos anos, que envolvem a ressignificação dos métodos de ensino-aprendizagem, a flexibilização e humanização curricular no intuito de adequar continuamente, e de forma ágil, o perfil do egresso às demandas da sociedade e do mercado de trabalho. Esse novo contexto da educação impõe desafios para a gestão administrativa e acadêmica do ensino, cuja responsabilidade é atribuída ao exercício da Coordenação de curso, a qual exerce papel fundamental no acompanhamento e tutoria no desenvolvimento do ingressante visando maximizar seu potencial de aprendizado. Esse trabalho visa contribuir com a profissionalização do trabalho da coordenação ao propor um formato de gestão do ensino, alinhada com a missão e visão institucionais, baseada em resultados e no uso a metodologia Hoshin Karin com o auxílio do A3 para gestão estratégica e desdobramento dos resultados, inserindo-se ainda este último como ferramenta para acompanhamento de egressos. Esse projeto piloto executado da Universidade já apresenta os principais ganhos e resultados preliminares, que são a gestão estratégica e visual da coordenação, com sistematização dos objetivos e metas de acordo com os eixos administrativo, ensino, pesquisa e extensão, desdobrando-os em um plano de ação com o apoio da ferramenta 5w2h, cujo acompanhamento pela equipe seria mensal e a análise crítica dos indicadores seria semestral. Os ganhos da utilização do A3 para acompanhamento e tutoria de alunos proporcionou melhorias significativo na gestão do tempo, no comprometimento e envolvimento de atividades presentes em sua vida acadêmica, sendo abordados aspectos tanto técnicos como comportamentais.

Palavras-chave: Coordenação de curso, Hoshin Karin, Lean Manufacturing.

CAPÍTULO IV: RECEPÇÃO E  ACOLHIMENTO:  O  PROJETO  DA  AULA INAUGURAL 

Autores

Marianna  Cruz  Camp os Pontarolo (Universidade  Federal  Rural do  Semiárido  / RN)
marianna.campos@ufersa.edu.br

Natália  Veloso  Caldas  de  Vasconcelos (Universidade  Federal  Rural do  Semiárido  / RN)
natalia.vasconcelos @ufersa.edu.br

Tema:  Vocação,  ingresso  e  acolhimento 

Resumo

Universidade Federal Rural do Semiárido / RN Universidade Federal Rural do Semiárido / RN A realidade de cursos de Engenharia de segundo ciclo é particular principalmente quando inserida no contexto de uma universidade localizada na região do Sertão Central do Rio Grande do Norte. Essas características coadjuvam para o desenvolvimento de um curso de Engenharia de Produção que originalmente não abarcava alguns atributos da formação do Engenheiro de Produção, devido a criação do mesmo ter sido por profissionais de outras áreas. Com este objetivo o projeto da Aula Inaugural foi desenvolvido com a meta de aproximar os discentes das peculiaridades e práticas da profissão. O projeto ocorreu nos semestres de 2018.1 e 2018.2 e ao final os discentes foram consultados com relação à satisfação e percepção sob o ponto de vista de clientes. Os resultados obtidos foram positivos para a equipe da coordenação e com as lições aprendidas o planejamento para a aula inaugural de 2019.1 foi iniciado considerando essas questões.

Palavras-chave: Engenharia de Produção; Aula Inaugural; Satisfação.

CAPÍTULO V: APLICAÇÃO DAS METODOLOGIAS ATIVAS PEER INSTRUCTION, PROJECT BASED LEARNING E PROBLEM BASED LEARNING NA DISCIPLINA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DE PRODUÇÃO

Autores

Lucio  Abimael Medrano  Castillo (Universidade  F ederal  de  Uberlândia  /  MG)
medrano@ufu.br

Fernando  de  Araújo (Universidade  F ederal  de  Uberlândia  /  MG)
fernandoaraujo@ufu.br

Mônica  Morais Lima (Universidade  F ederal  de  Uberlândia  /  MG)
monicaml0406@gmail.com

Tema: Aplicação de metodologias ativas

Resumo

Este relato de experiência visa a descrição da implementação das Metodologias Atividades de Aprendizagem na disciplina de Planejamento e Controle da Produção, no curso de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Uberlândia. Foram aplicados o Peer Instruction, o Problema Based Learning e o Project Based Learning. O relato descreve detalhadamente a estrutura da disciplina, conteúdo, ferramentas e dinâmicas usadas. Espera-se como resultado da aplicação destas metodologias o desenvolvimento dos alunos com relação as habilidades de trabalho em equipe, a aplicação prática de conceitos, a habilidade de leitura analítica, escrita e apresentação oral, a habilidade de exposição de ideias e geração de debate, a habilidade de análise crítica; a assimilação integral de competência, e principalmente busca-se tornar o aluno o protagonista de seu aprendizado e formação profissional.

Palavras-Chave: Peer Instruction; Problem Based Learning; Project Based Learning; Metodologias Atividas de Aprendizagem

CAPÍTULO VI: REESTRUTURAÇÃO DO CURSO: A OPINIÃO DOS EGRESSOS COMO SUBSÍDIO PARA TOMADAS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS

Autores

Maurício César Delamaro (Universidade Estadual Paulista de Guaratinguetá / MG)
mauricio.delamaro@unesp.br

Arminda Eugenia Marques Campos (Universidade Estadual Paulista de Guaratinguetá / MG)
arminda.campos@unesp.br

Andreia Maria Pedro Salgado (Universidade Estadual Paulista de Guaratinguetá / MG)
andreia.maria @unesp.br

Tema:  Formação continuada  e  acompanhamento dos  egressos 

Resumo

Esta  comunicação  relata  uma  experiência  que  envolve  acompanhamento  de  egressos.  O problema  crítico  identificado  foi  a  reestruturação  do  Curso  de  Graduação  em  Engenharia de  Produção  Mecânica  da  UNESP,  campus  de  Guaratinguetá.  Tal  reestruturação  envolve diversas  decisões  estratégicas,  para  as  quais  são  necessárias  coleta  e  tratamento  de dados  de  várias  fontes,  como  avaliadores  externos,  docentes  e  discentes,  empregadores e,  em  particular,  egressos  do  curso.  Considerou-se  que  os  egressos  são  detentores  de informações  e  de  percepções  relevantes  sobre  diversos  aspectos  do  curso  frente  às  suas experiências  profissionais.  Para  obter  informações  dos  egressos,  foi  realizado  um  survey, utilizando-se  uma  plataforma  on  line  para  coleta  dos  dados.  Após  tabulação,  os  dados foram  tratados  com  ferramentas  estatísticas  consagradas.  Os  resultados  obtidos  com o  survey  com  os  egressos  foram:  atualização  de  dados  de  cadastro,  conhecimento  das variações  dos  perfis  de  atuação  profissional,  avaliação  sobre  o  grau  em  que  as competências  profissionais  do  engenheiro  haviam  sido  desenvolvidas  pelo  curso,  opiniões sobre  a  adequação  dos  conteúdos  ministrados,  importância  relativa  dos  conteúdos  das diversas  áreas  e  subáreas  da  Engenharia  de  Produção  na  grade  do  curso.  Este  trabalho apresenta  alguns  dos  resultados  obtidos  com  esse  levantamento  sobre  percepções  e opiniões  dos egressos  e  detalha  um  dos principais quesitos sob  análise:  a  própria  definição do  curso.  A  questão  é  se  o  curso,  atualmente  de  Engenharia  de  Produção  Mecânica,  deve permanecer assim  ou  deve  mudar para Engenharia  de  Produção. 

Palavras-chave: graduação  em  Engenharia,  projeto  pedagógico,  survey  com  egressos, acompanhamento  de  egressos. .

CAPÍTULO VII: UTILIZAÇÃO DE PRODUÇÕES CIENTIFICAS DO ENEGEP COMO ELEMENTOS PARA APLICAÇÃO EM PBL’s 

Autores

Francisca Jeanne Sidrim de Figueiredo Mendonça (Universidade Regional do Cariri / CE)
sidrim@netcariri.com.br

Teresa Rachel Costa de Oliveira (Universidade Regional do Cariri / CE)
rachel.oliveira@urca.br

Antonio Luís Araújo Silva (Universidade Regional do Cariri / CE)

Amanda Feitosa Duarte  (Universidade Regional do Cariri / CE)

Tema: Aplicação de metodologias ativas 

Resumo

O projeto de utilização da metodologia ativa no curso de engenharia de produção da Universidade Regional do Cariri -URCA, demonstrou efetiva importância na construção de habilidades essenciais para o universo coorporativo, como a liderança, organização e o pensamento crítico. A partir da utilização do método, pode-se abordar formas sistematizadas para promover aprendizagem ativa. O projeto teve como pontos norteadores: a implantação do PBL no curso de Engenharia de produção da URCA, a melhoria nos métodos de ensino que possibilitem uma formação crítica e intervencionista. Os casos foram selecionados entre artigos científicos publicados em anais do ENEGEP, onde os alunos identificam a natureza do problema e buscam subsídios técnicos e estratégias funcionais para a resolução do mesmo. Dado que as vivencias compartilhadas passam a ser referenciais significativos para a afirmação do poder transformador do método aplicado. De acordo com os resultados o projeto conseguiu atingir os pontos principais do PBL: Motivação e construção de conhecimento. De uma forma geral os resultados demonstram que a adoção de metodologias ativas em disciplinas da engenharia de produção é factível e a utilização de artigos auxilia em muito o trabalho do professor.   

Palavras Chave: Metodologias ativas, Resolução de Problemas, ENEGEP. 

participe!

XXVI Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia de Produção (ENCEP 2021)
Plataforma ONLINE de 18 e 19 de maio de 2021 encep@abepro.org.br